06 gen 2009

Feliz 2009

O ano começou mal. Nào para o presente escritor, mas em geral com os ataques, seguido de invasào na faixa de Gaza, na Palestina, por parte do exército de Israel. Um movimento covarde e injustificàvel.

As perguntas que faço:

1- Poderia tal fato integrar um complô provocativo contra os paises de origem islàmica a fim de justificar um futuro ataque, maior ainda, depois de possìveis retalhaçoes das presentes vìtimas (Libano, Iraque, Palestina, etc.)?

2- Por que nenhum paìs ocidental nào intervèm mais seriamente contra o governo israelense? Motivos econòmicos? é simplesmente um homocìdio coletivo, um massacre o que o mundo assiste, sem prestar assistència digna, no momento no oriente médio.

3- Por que a Folha de Sào Paulo é nitidamente a favor dos ataques e nenhum jornalista ou òrgào a condena por isso?

Alguns evangélicos no Brasil dizem que os judeus sào o povo escolhido! Escolhido por quem, para que?

Nada tenho contra os judeus, cristàos, budistas, muçulmanos. Talvez eu critique as doutrinas, afinal tais cegam os seus seguidores à verdade. O deus de israel é o mesmo dos muçulmanos, até no nome. Alah, ao contràrio do que pensam no Brasil, é a traduçào literària da palavra "deus", como god, em inglés, Dio, em italiano. Ambos sào monoteìstas e creem num deus ùnico, deus de Abraào, que para os judeus é tbe o deus de Isaque e Jacò, isto é, Israel (claro, isto é obvio, é como se os brasileiros pudessem gritar deus de Abraào, Pelé e Ronaldinho, ou os italianos, deus de Abraào, Dante e Leonardo. E os cristào erram em defender Israel, ou pior de preferir os judeus aos muçulmanos defendendo que Jesus era judeu. Sim, era, por que depois se converteu ao cristianismo, que por sua vez defende que Deus nào é um, como dizem judeus e muçulmanos, mas très.

Nào é em jogo a questào religiosa. Israel nào é o povo de Deus. Mas povavèl, aos crentes, o povo do diabo. Um estado formado em 1948, instituìdo num outro Estado, sem o consentimento dos habitantes locais. Por que os Estados Unidos da América, na época, nào ofereceram Oregon ao entào novo estado?

Um Estado soberano que nasceu forte, com estrutura militar sò inferior - e numericamente apenas - aos norte-americanos. Se nào bastasse o territòrio, eles ainda ocuparam a Faixa de Gaza e agora, em 2009 fazem um bordel aos olhos de todo o mundo que presencia um genocìdio em massa.

Nada tenho contra os judeus, ratifico, mas muito contra o estado de Israel.

. . .

Bom, falamos do Brasil, de Sào Paulo, da minha cidade natal. O que acontece?!?!? Kassab assume a prefeitura prometendo cortes no orçamento. Quem serà prejudicado? Os banqueiros? A classe média ignorante? Nào, os menos favorecidos, aqueles que tem menos oportunidades e privilégios.
O que penso a respeito? Tenho nojo!

. . .

Comecei no macro e agora começo sempre mais a focalizar o micro. O que encontro entre os meus amigos paulistanos? Banhas! Todos gordos e feios. Por que? Serà que o Brasil està realmente se transformando no primo pobre dos States? Na verdade jà é!
Gordurinhas a parte, tais pessoas sào queridas. Tenho saudades e espero um dia lutar lado a lado com eles contra este mundo feroz, dominado pelo capital. "Ninguém no mundo deve ser esfrutado!"


03 gen 2009

Protesta


PT/BR: Sou contra o Estado de Israel. Sou contra la polìtica bélica israelense. Manifesto solidariedade ao povo palestino na faixa de Gaza.

IT: Sono contro lo Stato di Israele. Sono contro la politica di guerra israeliana. Manifesto solidarietà con il popolo palestinese nella striscia di Gaza.

EN: I am against the state of Israel. I am against the Israeli policy of war. I manifest profound solidarity with the Palestinian people in Gaza.

FR: Je suis contre l'État d'Israël. Je suis contre la politique israélienne de la guerre. Je manifeste profonde solidarité avec le peuple palestinien dans la bande de Gaza.

ES: Estoy en contra de el estado de Israel. Estoy en contra de la política israelí de la guerra. Me manifiesto profunda solidaridad con el pueblo palestino en Gaza.

DE: Ich bin gegen den Staat Israel. Ich bin gegen die israelische Politik des Krieges. Ich Manifest tiefe Solidarität mit dem palästinensischen Volk in Gaza.

أنا ضد دولة اسرائيل. أنا ضد السياسة الإسرائيلية من الحرب. أنا في إظهار تضامنها العميق مع الشعب الفلسطيني في قطاع غزة

אני נגד מדינת ישראל. אני נגד מדיניות של מלחמה. אני להפגין הזדהות עמוקה עם העם הפלסטיני בעזה